28 de set de 2012

Noite e Dia - Ventos do Norte e Sul (Leste e Oeste) I

Imagem de autoria desconhecida.

“O número de suicídios em Portugal duplicou na última década e há cada vez mais homens com menos de 50 anos a suicidarem-se, sendo no Norte e Centro do país onde há registro de mais casos.”
(http://www.tsf.pt/PaginaInicial/Vida/Interior.aspx?content_id=1717253

 “Trinta e oito soldados do Exército dos Estados Unidos teriam cometido suicídio no mês de julho, afirmou o Pentágono nesta quinta-feira. Segundo matéria da revista Times, o dado representa um aumento surpreendente na onda de suicídios que vem frustrando os líderes do Exército dos EUA durante anos. [...] Trata-se de um aumento de 117% em comparação a junho, que contabilizou 12 suicídios de soldados em atividade.”
(http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI6084098-EI8141,00-Exercito+dos+EUA+enfrenta+onda+de+suicidios+nas+tropas.html

“Comunidades da costa norte da Austrália detêm um recorde macabro: um em cada seis homens já pensou em cometer suicídio ou já tentou. [...] Os índices de suicídios entre aborígines do sexo masculino chegam a ser quatro vezes maior que dos australianos.”
(http://www1.folha.uol.com.br/folha/bbc/ult272u61824.shtml

 “Taxa de suicídio no Brasil sobe 17% em 10 anos. [...] das três causas de mortalidade violenta, os suicídios foram os que mais cresceram na década de 1998-2008 tanto para a população total quanto para a jovem.”
(http://www.estadao.com.br/noticias/geral,taxa-de-suicidio-no-brasil-sobe-17-em-10-anos-puxada-por-indigenas,684055,0.htm

“El suicidio en México se ha convertido en la tercera causa de muerte entre los jóvenes. Más del 50 por ciento de los casos en este último año correspondió a personas con edades entre 20 y 30 años; otro 20 por ciento a menores de 20 años.”
(http://www.esmas.com/salud/home/noticiashoy/342808.html)

 “No acumulado de 2011, o Japão registrou 30.651 suicídios, menos 1.039 casos do que em 2010, o que representa a primeira vez que o país teve num ano menos de 31 mil casos de suicídio desde 1998.”
(http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=560750&tm=7&layout=121&visual=49

“Um homem chamado Akiva Mafi, veterano de guerra e paraplégico, de 45 anos, morreu nesta quarta-feira, 2 de agosto, em decorrência dos ferimentos que sofreu após atear fogo em seu próprio corpo no dia 22 de julho em protesto contra a crise econômica no país. Akiva faleceu dois dias após a gerência do primeiro-ministro Benjamin Netanyahu aprovar mais um pacote de medidas de austeridade.”
(http://anovademocracia.com.br/blog/?p=4040

“Filho de último xá do Irã comete suicídio nos EUA. [...] O comunicado acrescentou que ele sofria há anos depressão pelo destino de seus país e as mortes do pai e de uma irmã.”
(http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,filho-de-ultimo-xa-do-ira-comete-suicidio-nos-eua-diz-irmao,662065,0.htm)

“A morte de qualquer homem me diminui, porque eu sou parte da humanidade; e por isso, nunca procure saber por quem os sinos dobram, eles dobram por ti” (John Donne in Meditações, Editora Landmark, 2007.)

“Tomando a educação no sentido mais amplo desta palavra, incluindo nela não somente a instrução e as lições de moral, mas ainda e sobretudo os exemplos que dão às crianças todas as pessoas que as cercam, a influência de tudo o que ela entende do que ela vê, e não somente a cultura de seu espírito, mas ainda o desenvolvimento de seu corpo, pela alimentação, pela higiene, pelo exercício de seus membros e de sua força física, diremos com plena certeza de não podermos ser seriamente contraditados por ninguém: que toda criança, todo adulto, todo jovem e finalmente todo homem maduro é o puro produto do mundo que o alimentou e o educou em seu seio, um produto fatal, involuntário, e consequentemente, irresponsável.” (Mikhail Bakunin in O Princípio do Estado e Outros Ensaios, Editora Hedra, 2008.)

“Deleito-me cada vez mais com a vida errante que levo. Prefiro a sela ao carro e o céu salpicado de estrelas a um teto, prefiro a trilha obscura e difícil, levando ao desconhecido, a qualquer autoestrada e a paz profunda do deserto ao descontentamento gerado pelas cidades.” (Everett Ruess in Everett Ruess: Vagabond for Beauty, 1983, ed. W.L. Rusho, Peregrine Smith Books; 2nd ed. 1985, pub. Gibbs Smith.)

“Duvido de que toda a filosofia do mundo seja capaz de suprimir a escravidão: no máximo mudar-lhe-ão o nome. Sou capaz de imaginar formas de servidão piores que as nossas porque mais insidiosas: seja transformando os homens em máquinas estúpidas e satisfeitas que se julgam livres quando são subjugadas, seja desenvolvende neles, mediante a exclusão dos repousos e dos prazeres humanos, um gosto tão absorvente pelo trabalho como a paixão pela guerra entre as raças bárbaras. A essa servidão do espírito ou da imaginação, prefiro ainda a nossa escravidão de fato.” (Marguerite Yourcenar in Memórias de Adriano, Editora Record, 1974.)

“Os homens perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem o dinheiro para recuperar a saúde. E por pensarem ansiosamente no futuro esquecem do presente de forma que acabam por não viver nem no presente nem no futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido.  Costumo chamar a alguns dos meus amigos "escravos do dinheiro". Sem um instante de repouso, extenuam-se correndo daqui para acolá... se essa atividade frenética apenas visa a satisfação de ambições pessoais, para finalmente ficarem extenuados e com a saúde arruinada, isso equivale a autodestruírem-se para nada.” (Tenzin Gyatso.)

“O Estado é a negação da Humanidade." (Mikhail Bakunin in O Princípio do Estado e Outros Ensaios, Editora Hedra, 2008.) 

“Das minhas alturas, eu contemplo as nações, e as vejo em cinzas se converterem. Tranquila é a minha morada em meio às nuvens. Aprazíveis os vastos campos do meu repouso.” (Henry David Thoreau in A Desobediência Civil, Editora Martin Claret, 2003.)

“Os senhores me desculpem, mas devido ao adiantado das horas eu me sinto anterior às fronteiras.” (Carlos Drummond de Andrade.)

"Eles caçavam, comiam, amavam, dançavam: onde quer que seus caminhos os conduzissem, ficava um rastro de música. Eles envolveram o mundo todo numa rede de canções.” (Bruce Chatwin in O Rastro dos Cantos, Editora Companhia das Letras, 1987.) 

“A física moderna, é claro, trabalha numa perspectiva muito diferente e não pode ir tão longe na experiência da unidade de todas as coisas. Mas na teoria atômica ela deu um grande passo na direção da visão de mundo dos místicos. A teoria quântica aboliu a noção de objetos fundamentalmente separados, introduziu o conceito do participante para substituir aquele do observador, e pode até mesmo achar necessário incluir a consciência humana em sua descrição do mundo. Ela passou a ver o universo como uma rede interconectada de relações físicas e mentais, cujas partes são definidas somente através de suas conexões com o todo.” (do Fritjof Capra. Físico e Teórico de Sistemas, in O Tao da Física, Editora Cultrix, 2008.) 

“A unidade é a variedade e a variedade na unidade é a lei maior do universo.” (Isaac Newton.) 

“A memória aniquila o tempo: conduz à unidade aquilo que parece ter acontecido em separado.” (Tolstoi in A Manhã de um Senhor, Editora América do Sul, data indisponível.)

“Que sensação é essa de estar se afastando das pessoas, até que delas, ao longe, na planície, você só consegue distinguir micropartículas, dissolvendo-se na vastidão do infinito? — é o mundo que nos engole, é a despedida. Mas nos inclinamos à frente, rumo à próxima aventura louca sob o céu. [...] Porque as pessoas loucas o bastante para acreditar que podem mudar o mundo, são as que o mudam." (Jack Kerouac in On The Road, Círculo do Livro, 1986.)


Post originalmente publicado no Noite e Dia.

Nenhum comentário: