7 de jan de 2010

Madame Yang e as Incríveis Novidades Tecnológicas

Sabem aquelas câmeras de tirar fotografias da aura? Muitas as conhecem como Máquinas de Fotos Kirllian.

Jamais dediquei tempo a pensar em tal maravilha tecnológica, mas nos últimos dias, ou melhor, desde a publicação do post “Fernanda Young e o Cheirinho do Loló”, venho pensando em tal engenhoca. Não especificamente na Máquina de Fotos Kirllian, mas pensando se não seria muito mais interessante uma câmera capaz de filmar o ego das pessoas. Seria divertido ver as cenas registradas em determinadas circunstâncias.

E não é que já a inventaram? Descobri tal inovação tecnológica após algumas pesquisas na Web. O vídeo abaixo mostra justamente a primeira experiência com tal aparelho: a filmagem do ego da Madame Yang (também conhecida como A Vagina ou Fernanda Young) reagindo à publicação do mencionado post.

Não sei como captaram as imagens da reação do ego de Fernanda Yang, mas os paparazzis têm lá suas artimanhas para conseguir imagens de celebridades, sobretudo daquelas que assim se tornam após posarem como capa da Playboy.

Acompanhem abaixo a reação do ego da Feranda Young (ou Madame Yang) e cliquem nos links pós-vídeo para entenderem melhor a razão de os profissionais da fofoca terem se interessado pelo uso da nova tecnologia e se esforçado para registrar as imagens diretamente do escritório da famosa artista-do-nu:


Antes dos links, permitam-me explicar algumas cosas. Desde a publicação do“Fernanda Young e o Cheirinho do Loló”, ou mesmo dias antes, tenho me mantido um bocado distante do computador. Trabalhando bastante e aproveitando qualquer tempo vago para escrever. 

Recebi e-mails e comentários elogiosos sobre o post. Uma mensagem eletrônica, no entanto, destoou. Já no título ela dizia: "Acabaram com você em poucas palavras". As supostas palavras que "acabaram" comigo não poderiam deixar de constar no corpo do e-mail: 

"Uma maricona que vive de fazer trocadilhos, e gargalha igual hiena histérica das próprias piadas, debochando do trabalho dos outros. Rá-rá”. 

Tal e-mail incluía igualmente um link para o twitter da Madame Yang, onde o mesmo simpático texto a mim enviado, fora postado.

Dias depois, recebo outra mensagem parecida, com os dizeres: “A hiena gargalhante e o seu humor sem graça... Vou levar em conta a possível esclerose. Ria, hiena. Ria!”.

Tal simpatia foi propagada igualmente através do twitter da afamada apresentadora, romancista, roteirista, artista-do-nu etc. Outro e-mail, recebido no mesmo dia, ameaçava: “Vamos queimá-lo na rua da cultura”.

Respondo logo à ameaça com uma simples pergunta: “Existe tal rua?".

Pois bem, se existe uma "rua da cultura", certamente a Fernanda Young não mora lá!. Acredito sinceramente que alguém com vasta cultura no mínimo conte igualmente com o talento de bem receber qualquer tipo de crítica.

Os apelidos atribuídos à minha pessoa, no entanto, não me ofenderam. Não os respondi na ocasião em que chegaram à minha caixa postal, pois pessoas de minhas relações me aconselharam o silêncio. Eles estavam certos: a melhor reação diante de grosserias é deixá-las com os seus respectivos donos.


Além do mais, Hiena Gargalhante ou Histérica, são apelidos bonitinhos. Quanto ao “maricona”, só o que me chateia, é perceber que ainda hoje se usa tão pejorativos e preconceituosos vocábulos. Mas não me ofende. Afinal, a orientação sexual de qualquer pessoa não é medida para avaliação de caráter. Fiquei chateado, porém, ao me perguntar se algum homossexual não teria ficado ofendido; sobretudo aqueles homossexuais que leem ou assistem aos programas que a Yang escreve e a ouvem dizer que "adora os gays e os defende".

Portanto, não vou contrariar o “maricona” da apresentadora. Como diria Keanu Reaves: "Não há nada de errado em ser gay. Portanto, uma simples negação já equivaleria a um julgamento".

Só gostaria de saber o quanto de Alexandre Machado (também conhecido como O Pênis, marido da Fernanda Young e seu “parceiro” de "trabalho"), há nas respostas a mim dirigidas através de mensagens eletrônicas e Twitter.

Seja como for, cliquem na sequência, para melhor compreensão do imbróglio, aqui, aqui², aqui³, e, igualmente, aqui.

Prometo não mais enfadar o leitor com posts sobre a apresentadora doidona e o seu marido O Pênis. O vídeo acima servirá como resposta a qualquer possível e-mail ou post no twitter que “alguém” dirigir à minha pessoa. Tal silêncio é inspirado pelo o que o jornalista Artur Xexéo prometeu fazer em sua mais recente inserção na coluna para a qual ele escreve. Pois bem: "Madame Yang" está igualmente apartada deste blog.

Nenhum comentário: